terça-feira, 26 de junho de 2012

O Regresso a Coimbra - Reajuste, Exames e...




Coimbra é lentamente como o tempo onde a história torna escrever, o regresso abriu-se-me munido de nevoeiro fresco à saída do comboio de velocidade e um olá saudoso encheu-me de ternura. Sabe bem voltar ao lugar passado dois anos, e certas coisas mudaram para melhor na estação Coimbra-B onde a passagem de nível para peões foi alterada segundo os parâmetros de segurança - foi quando estava prestes a atravessar a linha para a saída exterior da estação rumo à paragem dos Táxis, ouvi o ímpeto dos sinais sonoros estridentes de aviso, tão mas tão altos que dei um pulo para trás de susto mesmo entreolhando em ambos os lados, não via vivalma férrea nenhuma! 

Avisos luminosos piscando, na verdade nem tinha reparado antes o sinal encarnado gigante e arredondado onde no meio jazia uma frase: “Pare, Escute e Olhe” os sons envolvem-me mais que nunca no contexto dos meus sentidos.
Nesta altura o sol abrasava escondido por aquela neblina enganosa, reparei nas horas e a consulta começava a apertar, restava-me porém quarto de hora, lá me enviei num Táxi a caminho…

Abeirei diante do edifício de audiologia, pus-me na fila entregando a carta da consulta e exames para realizar respectivamente, e encaminho para a sala de espera, logo ali impávida deparo-me o A. com a sua mãe! Pensei “Mas… o que ele está a fazer aqui?!.... Não me digas, decidiu de vez depois de muita ponderação seguir em frente ao fim de muitos anos?!” 

È verdade resolveu querer mudar a sua vida, e dar uma oportunidade a si mesmo querer ouvir melhor, portanto, sim quer fazer o Implante Coclear. Trocámos umas palavras rápidas, o seu nome tinha sido chamado enquanto eu aguardava pela minha consulta…

Até lá, peguei numa revista e pus-me a ler mesmo quando o altifalante ecoava três beeps antes de referir o nome do paciente, sentada na mais pura da tranquilidade a recompor o espírito da viagem, e do acordar madrugador escutei em sobressalto o meu nome sem ajuda de ninguém, a minha incerteza foi se era para encaminhar nas consultas externas ou no primeiro piso das programações.

Vacilante, decidi subir ao fim de uns minutos e afinal de contas a chamada era proveniente do 1º piso, e lá cumprimentei o Dr. L.S e segundos depois o Técnico J.H com um aperto de mão e umas palavras pelo meio, foi então quando retirei o processador e tirei de lá a fita-cola enrolada na BTE antes de lhe entregar para conexar ao cabo principal do computador onde se faz a programação, digamos assim, afinar o piano! - o olhar do J.H denotou preocupação mas infelizmente não há nada a fazer, pois o problema em questão está no processador principal e não na BTE das pilhas. Com fita-cola-resistente funciona maravilhosamente. 

Já tenho umas ideias fantásticas de forma segurar o funcionamento por mais anos até decidir inovar por um novo upgrade, que espero ser também à prova de água! GO Cochlear da família Nucleus!

O tema dos apitos foram à rés-do-chão, baixinhos muito baixinhos e ainda mais baixíssimos… pareciam ecos amiudados mas estive imparável no reajuste inteiro, foi rapidinho coisa que não costumava ser. 
    
De seguida fui encaminhada a realizar uns testes que nunca fiz anteriormente, pelo menos dois deles, que consistia em perceber uma palavra no meio dos intensos ruídos e o que me saiu? Uma grande bela negativa! Sem stress, impossível entender ou discriminar pois equivale estar numa pista de corridas com os motores a rugir furiosamente o tempo todo e um amigo fala fala fala mas ficas na mesma naquela do “ah?! Não te estou a perceber nada! Está muito barulhento!”… portanto simplificando todos os implantados chumbam neste teste.  

O segundo teste, serviu-se para contar os intervalos silenciosos dentro do barulho/ruído prolongado numa escala de 0 a 5. Foi preciso estar bastante concentrada e fazer a contagem.

Por último, a discriminação de palavras através das colunas, sinceramente esperava melhor, mas a voz era grave tão grave que palavra sim e palavra não, pareciam competir lado a lado. Situação contrariada na reabilitação auditiva, através da Terapeuta H. durante os testes que apenas durou menos de 20 minutos com os resultados que me puseram sorrir, tenho trabalho de casa em continuar exercitar o cérebro. 

É meta suficiente para apostar em áudio-livros, se tenho enorme prazer em ler então ouvir acompanhando a história irá preencher os meus tempos livres em formato mp3, isto quer dizer, agradavelmente com o uso do Neck Loop no baú de acessórios essenciais tenho as ferramentas completas para seguir em frente.

Poderei afirmar sem hesitação, este último reajuste fez grande alteração em relação aos sons de ruído, noto-os mais suaves nas frequências baixas, e em sítios barulhentos como aconteceu quando na vinda para a Estação Velha de Coimbra ouvi uma conversa sincronizada de três adolescentes no interior do autocarro onde estava assentada atrás junto da janela, e o motor mesmo debaixo dos meus pés. Já na estação com o bilhete à mão, o altifalante rompeu o espalhafato de vozes estrangeiras com o aroma inglês, francês e alemão, bem como outras línguas irrequietas. Turistas! Centenas deles que pernoitaram na cidade logo após o concerto da Mandonna no estádio da Briosa.

E é então que apanho a frase quase toda do altifalante, inteirinha: “Senhores passageiros o comboio Intercidades que procedente de Porto Campanhã para Santa Apolónia…  na linha dois “ e quantos tantos Regionais atravessavam noutra faixa. E ter passado a viagem a escutar duas vozes cúmplices de um rapaz mais a mãe sobre um filme de desenhos animados a decorrer no portátil atrás de mim! 

Ao telemóvel é uma beleza reviver estas pequenas conquistas, conversas mais duradouras e novas palavras decifradas… e esta viagem valeu a pena, muito! Para finalizar a minha descrição um pouco emotiva faz hoje 5 anos que recebi a bendita chamada de Coimbra para o internamento, por isso para mim, festejo duplamente este dia! 

Prestes a completar quase-cincos-anos-de-implantada continuo a receber surpresas agradáveis de conquistas sonoras.

Hoje sou Baby! As estrelas sonoras inundam o meu coração com o mesmo fulgor e intensidade de sempre.  

2 comentários:

N.Latoski disse...

Olá! Moro no Brasil, meu filho foi implantado no final do ano passado, e foi ativado em janeiro, ele usa o aparelho da Med-el.... mas... ele já quebrou 2 cabos da bobina!!!! li no manual que tem uma distribuidora da Med-el em Coimbra... aqui no Brasil é muito caro esse cabo, sabe quanto custa em Coimbra? você utiliza o IC da Med-el tambem? desculpe incomodá-la, mas, não é facil pra uma mãe.... estamos nos adaptando.... Felicidades... nicole.latoski@gmail.com

N.Latoski disse...

Olá! Moro no Brasil, meu filho foi implantado no final do ano passado, e foi ativado em janeiro, ele usa o aparelho da Med-el.... mas... ele já quebrou 2 cabos da bobina!!!! li no manual que tem uma distribuidora da Med-el em Coimbra... aqui no Brasil é muito caro esse cabo, sabe quanto custa em Coimbra? você utiliza o IC da Med-el tambem? desculpe incomodá-la, mas, não é facil pra uma mãe.... estamos nos adaptando.... Felicidades... nicole.latoski@gmail.com