sábado, 30 de abril de 2011

Pensamento "umbigado"

Escolhi OUVIR, e é um mundo bonito para se aprender todos os dias, existe uma perfeita sensação de segurança auditiva perante acontecimentos múltiplos e sei que a minha voz também mudou agradavelmente, porém há sempre qualquer coisa que fica pelos anos de Surdez prolongados. Duas décadas. Entretanto ela é compreensível, sim, tive de aperfeiçoar os erros de dicção, ouvindo a mim própria e outras pessoas a conversarem. 

Mas... 

Há coisas, que por vezes me irritam, como por exemplo alguém ao reparar no processador de fala e em vez de me dirigir oralmente, elevam os braços, pondo-se a gesticular as mãos sem a mínima noção. Solto um "vê-se mesmo que é uma pessoa ignorante" - é chato batalhar contra os estereótipos que as pessoas nos acumularam, também, é nosso dever rectificar a natureza da própria diversidade, pelo simples facto de nós, utilizadores de próteses ou implantes auditivos sabermos também comunicar com os outros pela via oral (a boca) e não com as mãos.  

Isto cansa... à séria... um pouco de todos os dias levar com isto na cara.  

domingo, 10 de abril de 2011

Regresso ao "Sou uma Cyborg": será desta vez?

Seria mentira dizer que não tenho saudades de escrever, porque na verdade tenho. Apenas e somente me falta tempo para dedicar a este bel-prazer em soltar palavras que existem em mim. E estou bestialmente bem com o meu Implante Coclear, a cada dia surge novos progressos de discriminação verbal e o último reajuste realizado em Coimbra foi a valer, com tudo no lugar.

Não pretendo voltar demasiado cedo, com medo de a programação perder o rumo dentro de uma mera alteração nos decibéis ou frequências. Por outro lado apercebi-me de que quando as pessoas gritam junto de mim, eu não percebo nada do que dizem, as palavras saem completamente distorcidas, será normal? Acho que sim. 
 
Também é verdade, que arregaçamos as mangas perante um desejo antigo, um projecto bem pensado para pessoas como nós, que usem próteses auditivas ou implantes e assim nasceu a OUVIR - Associação Portuguesa de Portadores de Próteses e Implantes Auditivos no trágico dia em que o terramoto e tsunami, mais a explosão nuclear assolou o Japão.

A vida tem agora outro sabor.