terça-feira, 4 de maio de 2010

Como o meu Cérebro Ouve?


Já não é a primeira vez que isso acontece, posso ouvir uma palavra ou frase correctamente mas existe alturas que o meu cérebro actua como um desconfiado na incerteza da palavra por mim compreendida e tento domestica-lo a acreditar no que ouve. Isto é, tenho de arriscar mais vezes e deixar de lado os receios sem necessitar de me socorrer na base de dados (a leitura labial para confirmação).

Ah! Parece que sofro de oscilações auditivas com o processador de fala. Acho engraçado isso suceder, ora há meses para cá sofria tanto em ambientes ruidosos, chegava a não perceber nem um pouco ou nada o que as pessoas diziam. Não sei como e porquê de o processo auditivo ter-se alterado.
[ Já no interior da viatura em andamento com uma música a tocar, no banco de trás contemplava para o azul salpicado de nuvens, consegui ouvir a conversa entre os dois e percebi que estava atenta a tudo o que me rodeava sem me recorrer à visão. Normalidade. Ali, naquele momento tudo rolava tranquilamente, esqueci a minha Surdez e os silêncios ensurdecedores neste entardecer ventoso.

“Queres ir para onde?”
“Vamos passar pelo Seixal, assim procuramos a A.” ]

É impossível não ficar indiferente a esta deliciosa conquista.

Sem comentários: