sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Ruído Misterioso

O vento começou a mover com bastante frequência à tarde, cada vez mais forte e as folhas caídas das árvores jaziam no passeio aos redemoinhos em forma de um funil, a ondearem e depois flutuavam do chão, podia ouvi-las a beijar na superfície. Os carros passavam por mim, furiosos, acelerados na estrada e um som enigmático atropelara o meu cérebro, uma emissão metálica e excêntrica que fazia um barulho bizarro, e quando não havia nenhum carro por perto o ruído parara de chiar.

Sentia o ar frio a palpitar no meu rosto, as mãos geladas e os cabelos agitados. Vejo o aproximar de dois veículos de quatro rodas, o Peugeot e o Mercedes, de repente o estranho som tinha-se ressuscitado misteriosamente! Restava agora procurar e saber donde vinha este timbre, apercebi no entanto de que estava mais perto de o descobrir, fosse qual fosse...

Olhei para o piso de alcatrão, no meio da estrada havia um circulo, mais do que isso, uma tampa de esgotos, e cada vez que os pneus pisavam naquela tampa um pouco solta lançava um barulho estridente e metálico. Era isto!

Sem comentários: