quinta-feira, 3 de julho de 2008

Falar ao Telemóvel.


Estou sem saldo no telemóvel, tal situação não me é possível enviar mensagens a quem porventura precise mas dado o meu milagre coclear, OUÇO palavras e consigo na maioria das vezes entender o contexto da frase vindo do outro lado.

Vozes reais e humanas, reconhecidas há quase um ano, desde a activação. Um canal de frequências límpidas e coroadas imerge no meu ouvido implantado até ao nervo auditivo, por fim com destino marcado ao cérebro.

Basta o telemóvel tocar acima da mesa com uma música de fundo, sem o suporte do alerta vibratório condensado de tremidelas bruscas para atender, de seguida encosta-lo à orelha, junto ao microfone do processador de fala e de lá nascem palavras delicadas.

Escuto e entendo de verdade, frases memorizadas.

3 comentários:

M.M. disse...

Olá @Memorex!

Estou na mesma situação do que tu. Tenho pouco ou nada de saldo no meu telemóvel. hehehehe.
Sim senhor. Fico contente que já consigas falar ao telemóvel.
Mais um degrau vencido. Venham mais lutas para serem desbravadas por ti.
E eu, como já vai sendo habitual, cá estarei.

Um beijinho.
M.M.

num relance disse...

li os posts, em crescendo;
li as palavras a saborear esse sabor que lhes foi dado por quem as escreveu a saborear a escrita, no valor que as palavras têm de sons;
li e ouvia no que lia sons em sinfonia;
é envolvente, é cativante, é arrepiante, sente-se o milagre da tecnologia em impacto;

é bom isto, que a tecnologia devolva a humanidade, que sirva milagres, que faça nascer sorrisos e brilhos e descobertas

é bom ler isto que li;
a escrita é fluida e boa, chega a ser mágica, e no ir lendo, essa experiência é tão pessoal para quem a está a viver que não consigo imaginar o quanto deve ser sublime esse percurso, essas descobertas

uma das matérias que lecciono é som, digital; graves, agudos, larguras de banda, frequências, timbres...
ao ler alguns dos termos aqui no contexto deste blog parecia-me que estava a abrir janelas... como os termos que banalmente se ensinam, escalpelizadamente e em detalhe, ganham vida, força, significado e energia tão próprios

queria acabar a desejar, o quê?, parabéns? melhoras? felicidades?, qualquer palavra parece redutora face ao que aqui li no blog

ah, talvez isto: desejo que o milagre continue

Pedro

reb disse...

memorex, é comovente seguir os teus passos nesta aprendizagem do mundo dos sons. Há sons que descreves que eu nem tinha consciencia: o estrelar de um ovo, por exemplo. Passei a estar mais concentrada na minha audição. Estás a ensinar-nos a ouvir, ou melhor: a escutar :)