quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Latidos Roucos


A trabalhar que nem uma louca ontem, por querer melhorar a minha performance de freelancer perdi o sono, a noção das horas e aplaudia as teclas continuamente, sempre, com o portátil repleto de marcas dos meus dedos no teclado acima das pernas cruzadas.

Cativo e movo a linguagem das propriedades artísticas e lá fora os cães ladram a fio, minuto a minuto, ora param e recomeçam com a mesma determinação e persistência. Habituada ás repetidas sonoridades caninas, cheguei a um ponto de assimilar os latidos sólidos a imersos, engolidos numa depressão profunda de roncadura.

Estavam roucos! Dei por eles na madrugada. Que máximo!!!!

1 comentário:

Margarida disse...

LOOOL
Só mesmo tu...qq dia decifras a linguagem canina, nao???
Um beijo dakeles grandes!