sexta-feira, 16 de março de 2012

Resposta ao Jornalista Espanhol


Fui contactada por um Jornalista espanhol, através de e-mail, que anda a preparar uma reportagem sobre a tecnologia biónica aplicada às pessoas com incapacidades físicas e motoras, também sensoriais. Ficou extremamente curioso num aspecto em particular daqui do Blogue “Sou uma Cyborg – Ouvido Implantado” – de me apelidar de Cyborg, termo este que para muitos dos usuários biónicos pode ferir algumas susceptibilidades, pois a sua abreviatura é “organismo cibernético” – uma relação intimamente pessoal entre homem-máquina, artificialmente falado. Mas na medicina a história é outra pois existem dois tipos distintos de Cyborgues: a restauração e o avanço no sentido de reparar/melhorar a função que foi perdida durante o processo biológico.

Curiosamente, o Implante Coclear foi quem mudou o rumo de toda a ciência biónica, abrindo brechas para outras tecnologias que viriam a se revelar mais uma vez eficazes: o coração artificial, o pacemacker, a implantação de retinas, o olho biónico que actualmente está a ganhar notoriedade embora ainda não esteja perfeito mas todos os dias existe inovações por parte da medicina que visa melhorar a qualidade de vida das pessoas com incapacidades, cujas faculdades foram perdidas no decorrer da vida ou no nascimento. Conheço um menino cego, de olhos azuis, a aguardar que atinja a idade certa para puder ver como se o mundo de repente passasse a ter cores a girar à sua volta e descobrisse esta maravilhosa tonalidade de arco-íris, este rapaz irá receber o mais avançado equipamento de sempre daqui a uns anos.

Portanto, quando me apelido de Cyborg, é na realidade um termo carinhoso que dei ao meu Implante Coclear, porque tenho um ouvido biónico, uma tecnologia de alta ponta, um euromilhões aqui dentro. É aquela sensação única de ser parte de uma revolução tecnológica que me permitiu voltar a ouvir eficazmente pois ouço tão bem como qualquer ouvinte. Tanto até! 

Está diante de uma pessoa biónica, cujo equipamento é imprescindível no dia-a-dia para realizar diversas actividades. Sou portanto com imenso carinho, orgulhosamente Cyborg!

2 comentários:

tarciso disse...

Vivendo e aprendendo. Há 32 dias também entrei para o time dos cyborgs porque recebi o implante de um marcapasso cardíaco, como o chamamos aqui no Brasil, enquanto alhures a maioria o chama pacemaker. Se entendi direito o implante coclear seria precursor do marcapasso, ao contrário do que eu imaginava, que fosse algo bem mais recente.

tarciso disse...

Também entrei para o time dos cyborgs. Isso aconteceu há 32 dias quando recebi o implante de um marcapasso cardíaco, como é chamado aqui no Brasil, enquanto alhures o chamam regularmente pacemaker. Pelo seu texto entendi que o implante coclear é um precursor de outras inovações como o pacemaker, por exemplo. Para mim é surpreendente se for assim pois imaginava que este era bastante anterior pois o primeiro implante bem sucedido de marcapasso cardíaco definitivo ocorreu no ano de 1960.