sexta-feira, 5 de março de 2010

Shiuu, voltei!


Um mês recheado de ausência, a vida agora exige muito mais de mim porque quero e também porque gosto de sentir a adrenalina imediata dos novos desafios que surgiram e convites incluídos. Aceitei com prazer! Sou a mais nova benjamim de um projecto que aos poucos está a se tornar realidade, construiu-se a matriz ganhando uma nova sustentabilidade e alento, foram implementadas novas ideias e convicções que agora saíram do papel.

Tudo vai mudar e já nada voltará a ser o mesmo. Nada. 

Sobre a minha condição de Cyborg, sei que muitos estão curiosos... ansiosos por novidades e não só, mais do que isto sei o quão importante é este Blogue para algumas pessoas  que me seguem religiosamente o devaneio bionicamente tecnológico. Portanto este mês as conquistas sonoras foram tremendamente grandes no que se diz respeito à discriminação de palavras e ambientes ruidosos.

Estava num restaurante, almoçar em jeito de comemoração dos 50º anos de casados dos meus avós paternos, e à nossa frente  encontrava-se na mesa um casal com 3 filhos, bem, faziam cá um barulho acriançado e as vozes deliciosamente agudas. Ouvia-se uma música de fundo, eram os acordes de guitarra intercalado com fado português... e quando me preparava para mais uma garfada em direcção à minha boca ouvi o rapaz atrás de mim a dizer: "como está o seu prato? Está bom?" - olhei-o, e fiquei agradavelmente surpreendida, sem saber bem o que fazer ou dizer...

Outra situação, passou-se no café perto da minha casa, nessa noite começaria o famoso jogo minhoto e havia vocalizações em toda a parte incessantes, espaço lotado, eu bastante longe ouvi dois copos de vidro que se chocaram em uníssono  emitindo vibrações sonoras prolongadas... fiquei super impressionada de ver como o Implante Coclear consegue captar sons tão invisíveis a uma distância soberba!

O mais engraçado, é sem dúvida assistir o desenvolvimento da linguagem do T. com apenas um ano de idade, a etapa do crescimento, o desabrochar linguístico e a forma como ele pronuncia as palavras correctamente os nomes dos animais, do corpo humano, das pessoas, dos bonecos, dos programas de animação do Panda e Noddy. A interacção estarrece-me!  

Tenho conversando ao telemóvel com a minha família, agora mais que nunca, se não entendo à primeira peço para repetirem devagar e aí posso compreender o teor da conversa, então conversamos e rimos com a minha atrapalhação auditiva. A minha leitura labial está uma verdadeira desgraça, perdendo cada vez mais a qualidade.... sou oficialmente uma coclear-dependente. 

Sou orgulhosamente CYBORG!       

4 comentários:

Nuno disse...

Obrigado pelo teu comentário. Aguardo sempre novidades, nem que para isso tenha de levar com estas ausências no teu blogue! ;)

Beijitos,
Nuno.

Anónimo disse...

Tu és orgulhosamente Cyborg e eu tenho imenso orgulho em ti, sendo cyborg, não sendo cyborg, sendo a pessoa linda, sensível, inteligente, amiga e lutadora que és...porque é sobretudo isso que te define, muito para além que qualquer condição sensorial!! E é isso que tantos não conseguem entender: claro que o ouvir ou não também é uma característica nossa, como o ser miope ou não, o ser alto ou baixo...mas o que vai cá dentro, na mente e no coração é que conta verdadeiramente! Abração,
Inês/Misal
PS: como dria o Principezinho, «o essencial é invisível para os olhos»...e para os ouvidos, e para o olfacto e para o tacto!!!

Olivia disse...

Parabéns Sun, você é uma lutadora nata. Você é um verdadeiro exemplo de superação. Te admiro. Você merece, você fez o esforço.

Obrigada por compartir tuas conquistas, tenho uma amiga que ficou surda com a a tua idade e agora tem 53 anos. Ela é candidata ao implante más ela está cheia de dúvidas enquanto a discriminação. Parece que ela não terá todos os electrodos pq a coclea está calcificada. Ela teve meningitis de novinha, vc tambem? Eu ja falei a ela de vc más ela não lé português. Vou fazer de tradutora pq tua historia é uma lição de vida.

Besos enormes Sun

Blogadinha disse...

Hoje à tarde lia um comentário sobre o desassossego de uma "alma prestes a querer cantar".

Canta sempre o que te vai no peito - se outros não te entenderem, lembra-lhes a reciprocidade.

Feliz, muito, pela leitura que me proporcionaste. Que seja a primeira de muitos progressos. ;)

Bom fim-de-semana