domingo, 1 de novembro de 2009

Duas Pontes

Hoje a manhã acordou com o céu cinzento e ensonado e o meu ouvido implantado vai ser embalado pela vida da música com a mesma intensidade das primeiras descobertas do inicio, no fim da tarde. Irei vibrar nos instrumentos de sopro, fecharei os olhos por um momento deixando a visão de lado para dar mais ênfase na melodia.

Saborear. Guardar os sons para depois o relembrar assim que quiser. As expectativas. O sonho de ouvir aquando criança, altura em que passava muitas noites sem dormir fechada no quarto a teclar o piano electrónico e de retirar a prótese colocando o ouvido junto à coluna plana, lembro-me de ouvir e soltar lágrimas, lembro-me de a música soar lindamente, lembro-me de aguardar uma parte da canção, lembro-me de falar baixinho do quanto queria ter a audição retornada... porque nesta idade, aos oito anos, eu percebi que estava a perder progressivamente um pouco em cada ano.

E o meu amor pelos sons era tanto. Hoje, apesar de ouvir de maneira diferente, soam ainda melhores, completos e cheio de vida! Por isso, ao entardecer recordarei a infância e o prazer do presente. A de ouvir novamente.

1 comentário:

Erika disse...

Oi Sun, obrigada pela linda mensagem! Ainda temos muito a aprender sobre a realidade dos surdos implantados e seus depoimentos tem nos ajudado muito.
Estamos aqui torcendo para que voce ouça todas as lindas melodias a que tem direito.
Um abraço aqui de Roma,
Erika