segunda-feira, 16 de março de 2009

Diálogo


Hoje esteve um dia esplêndido com alguns atritos, porém não podia deixar isso de lado e conversa puxa conversa numa tarde quente que mais parecia Verão, olhei-o de relance e li os lábios a pergunta que fizera:

"Queres comer gelado?"
"Não"

Virei o olhar, e estendi-o ao horizonte centrada nos meus pensamentos, mas não me impossibilitou de ouvir um fio de palavras invisíveis em tom grave:

"De certeza?"
"Sim"
"Absoluta?"
"Sim, não me apetece e tu queres?"

Ri interiormente por finalmente entender a voz dele, essa voz que tanto buscava e ainda busco até ao fim do mundo. Essa voz que me embala e me faz pulsar cada vez com mais intensidade neste amor sereno.

2 comentários:

olinda disse...

Belo, ontem de ontem aconteceu o mesmo comigo...mas foi com a minha mãe :).... A gente andava pela rua e ela falava-me e pude distinguir as suas palavras sem ter que olhar pra ela. Que alivio!!!!

Laura disse...

Ah, eu ainda vou longe, mas é linda a tua forma de relatar as coisas..Beijinhos.